zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Aldeias do Pantanal - 24/07/2015 - 07h49

De forma inédita, secretário de Justiça vai à aldeia de Dourados discutir segurança pública com índios















Por Joelma Belchior do Notícias MS/ Redação Pantanal News

Dourados (MS) – Policiamento e segurança pública nas aldeias indígenas do Estado foi tema de uma reunião realizada nesta quinta-feira (23) na aldeia Jaguapiru, em Dourados, entre líderes dos índios e o secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública adjunto, Hélton Fonseca Bernardes e o coordenador Estadual da Polícia Comunitária, coronel Carlos de Santana Carneiro.

Durante o encontro considerado inédito na história do Estado, já que é a primeira vez que um secretário da Sejusp vai à aldeia discutir segurança pública com os povos indígenas, os líderes demonstraram preocupação com o crescimento da violência nas aldeias existentes nos 30 municípios de Mato Grosso do Sul. “As situações das aldeias são muito críticas, com índices de violência muito grandes e aumento de crimes como o tráfico de drogas, agressões e estupros”, destacou Roberto Carlos Martins, cacique da aldeia Porto Lindo, em Japorã.

O cacique disse que é louvável a Secretaria de Segurança Pública acatar o clamor das lideranças para rever as atuais políticas e buscar alternativas para as situações violentas das aldeias, apesar de defender a cultura e a independência dos índios. “Quem aponta o que deve ser feito são as lideranças que ainda acompanham todas as ações da polícia e tem que tomar conhecimento com antecedência dos mandados de prisão, porque nós sabemos julgar cada crime ocorrido dentro da aldeia, por exemplo, estupro tem que ser encaminhado para a polícia e crimes menores são julgados pelos próprios índios e normalmente o autor presta serviços comunitários para pagar por seu crime”, explica.

O índio Fernando Souza, apoiador técnico da Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI) e um dos organizadores do encontro discorda do cacique Roberto e diz que o índio precisa se adaptar a atual realidade. “A lei foi feita para todos e nós enquanto indígenas temos direitos, mas também temos deveres e entre eles, respeitar a legislação vigente e não é porque é aldeia que não vai ter ordem”, frisou.

Para o líder o importante é efetivar uma política de segurança pública voltada aos povos indígenas, porque hoje o Estado está muito ausente das comunidades. “O mais importante é que iniciamos esse diálogo trazendo o secretário para dentro da aldeia, para juntos formularmos uma proposta para então ser colocada em prática”, afirma Fernando.

O secretário de Segurança adjunto destacou que  o policiamento nas aldeias é uma política do atual Governo do Estado, através da Sejusp, que por meio de convênio com o Ministério da Justiça já adquiriu 19 veículos, sendo 7 caminhonetes e 12 motocicletas para a realização do policiamento ostensivo comunitário, que inicialmente irá abranger as aldeias de Dourados e Caarapó.

“Serão ações continuadas de policiamento comunitário, por meio da integração das polícias com a comunidade, através da implantação da filosofia de Polícia Comunitária”, disse o secretário Hélton Fonseca que defende ainda o ingresso dos indígenas nos quadros da segurança pública, através das cotas disponibilizadas para os índios nos concursos públicos.

O coordenador Estadual da Polícia Comunitária, coronel Carlos de Santana Carneiro, destacou que Mato Grosso do Sul saiu na frente dos demais estados do país, criando em Campo Grande o primeiro Conselho Comunitário Indígena de Segurança do Brasil e que as ações continuam. “O secretário de Segurança já autorizou a realização do primeiro curso de capacitação de Polícia Comunitária para indígenas, além disso, já temos mais de 4 mil profissionais da segurança pública capacitados através desse curso, aptos a trabalharem junto às comunidades ouvindo e auxiliando as lideranças”, finalizou.

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 


Comentários
 
Últimas notícias do canal
05/05/2017 - 16h18
Campanha de vacinação dos povos indígenas 2017 começa nesta sábado
23/03/2017 - 10h58
Mato Grosso do Sul: Indígenas recebem cestas de alimentos da Conab
09/02/2017 - 10h14
Presidente nacional da Funai visita Dourados e áreas de conflito em MS
23/01/2017 - 07h27
Mitologia dos índios Guaranis vai representar o Brasil no Festival de Berlim
03/01/2017 - 10h01
Indígenas de Mato Grosso do Sul recebem cestas de alimentos
 
Últimas notícias do site
23/10/2017 - 09h54
Prefeito de Corumbá representa o Brasil em seminário internacional do FONPLATA sobre hidrovia
23/10/2017 - 08h55
Semana em MS começa com 169 vagas em concursos públicos
23/10/2017 - 07h41
PMA e parceiros realizam Educação Ambiental para alunos em escolas ribeirinhas e indígenas
23/10/2017 - 07h40
Em oito dias, Mato Grosso do Sul registra queda de 55 mil raios
23/10/2017 - 07h02
Medidas anunciadas por Temer farão ressurgir o rio Taquari, diz Ruiter
 

zap

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.