zap
GOV EMPREGO 22-06
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Meio ambiente - 27/04/2015 - 06h35

Pesquisa de tatu-canastra em MS disputa 'Oscar Verde' na Inglaterra

Cerca de 200 pesquisadores se inscreveram e sete disputam final. Projeto do Brasil está sendo desenvolvido desde 2010 no Pantanal.




Por Juliene Katayama do G1 MS / Redação Pantanal News

Pesquisadores colhem sangue, retiram DNA e implantam rastreador no tatu-canastra. (Foto: Claudia Gaigher/ TV Morena)Pesquisadores colhem sangue, retiram DNA e implantam rastreador (Foto: Claudia Gaigher/ TV Morena)

A pesquisa sobre tatu-canastra realizada no Pantanal sul-mato-grossense desde 2010 é uma das finalistas do “Green Oscars” (Oscar Verde). O prêmio é destinado aos conservacionistas do mundo e será entregue na quarta-feira (29), na Inglaterra, pela princesa Anne, filha da rainha Elizabeth II.

Francês de nascimento, mas brasileiro de coração, Arnaud Desbiez, de 40 anos, iniciou a pesquisa sobre o tatu-canastra em 2010 quando uma organização não governamental (ONG) escocesa fechou parceria com uma ONG brasileira para estudar a conservação da espécie na região do Pantanal.

“É a grande confirmação pela comunidade internacional, principalmente porque é um animal que pouco conhece. É um prêmio internacional”, disse o coordenador da pesquisa que disputa pela primeira vez um dos maiores prêmios na área ambiental.

O prêmio foi disputado por quase 200 pessoas e sete chegaram à final. Além de Arnaud, disputam a final pesquisadores da Philipinas, Colômbia, Indonésia, África e Índia. A cerimônia vai ser no prestigioso Royal Geographical Society in London.

Projeto
O tatu-canastra tem o hábito de viver embaixo da terra e em baixas densidades populacionais. O comportamento contribui para que a espécie ameaçada seja muito pouco conhecida.

Tatu-canastra sofre ameaça de extinção e é pouco conhecido (Foto: Claudia Gaigher/ TV Morena)Tatu-canastra sofre ameaça de extinção e é pouco
conhecido (Foto: Claudia Gaigher/ TV Morena)

O projeto “Tatu-Canastra – Pantanal” é o primeiro projeto de pesquisa a longo prazo dedicado a conhecer sua ecologia neste bioma utilizando radiotransmissores, armadilhas fotográficas, levantamento e pesquisa de suas tocas, monitoramento de indivíduos e mapeamento de sua área de uso, além de entrevistas com a comunidade local.

Recentemente, o projeto expandiu seus estudos a outras espécies de Xenarthras, como tamanduás e os tatus como por exemplo o tatu-de-rabo-mole (Cabassous unicinctus).

O tatu-canastra, junto com outras espécies de Xenarthras, é considerado um dos embaixadores da biodiversidade brasileira, servindo como excelente modelo para a educação ambiental e programas para iniciativas de conservação de espécies ou preservação de biomas nacionais e internacionais.

Arnaud tem uma equipe de quatro pessoas, composta pelo biólogo Gabriel Massocato e pelos médicos veterinários Danilo Kluyber e Renata Santos. Apesar disso, apenas o idealizador vai representar o Brasil.

O próximo passo, é expandir a pesquisa do tatu-canastra para a região do Cerrado. “O Pantanal é mais conservado e o Cerrado teve mais impacto da civilização”, explicou o pesquisador.

Biografia 
Arnaud Desbiez é formado em biologia pela McGill University, no Canadá, e doutor em “Manejo de biodiversidade” pela Universidade de Cranfield, na Inglaterra. O pesquisador já passou por Belize, Bolívia, Argentina, Nepal, França, Inglaterra, Estados Unidos da América, Canadá.

Depois de passar por tantos países, o francês veio para Brasil há 13 anos quando foi escolhido para desenvolver uma pesquisa sobre porco monteiro e plantas forrageiras, em Corumbá, município distante 415 quilômetros da capital. O projeto foi desenvolvido pela Embrapa Pantanal.

“Concorri um trabalho e vim para Pantanal. Achei que fosse ficar dois ou três anos”, disse. Mas a decisão de escolher o país para morar aconteceu mesmo quando Arnaud se apaixonou. Hoje ele é casado com uma brasileira e tem dois filhos. “Me considero brasileiro, já tenho até família aqui”, ressaltou.

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

area
Comentários
 
Últimas notícias do canal
22/06/2017 - 15h50
Cães para adoção serão vacinados gratuitamente nesta sexta
21/06/2017 - 13h32
Coordenador ambiental alerta sobre incêndios florestais no inverno em MS
21/06/2017 - 11h16
Monumento natural que funciona como balneário ganha plano de manejo em Bonito, MS
09/06/2017 - 08h40
Moradores transformam terreno baldio em horta comunitária em MS
08/06/2017 - 15h42
Dourado está para os rios como onça para o Pantanal, compara pesquisador
 
Últimas notícias do site
27/06/2017 - 08h00
Confira as ocorrências dos Bombeiros das últimas horas
26/06/2017 - 14h16
Outro foragido da Justiça é capturado pela Getam em Aquidauana
26/06/2017 - 12h41
Policiamento Montado garante a segurança nas escolas de Aquidauana
26/06/2017 - 10h15
Rotai captura mais dois foragidos da justiça em Aquidauana
26/06/2017 - 09h40
Concursos em MS reúnem quase 300 vagas e salários de até R$ 14,9 mil
 

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.