zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Cultura - 26/03/2015 - 06h13

Roda de conversa do Boca de Cena faz resgate histórico do teatro em MS




Divulgação

Por Gisele Colombo de Oliveira do Notícias MS/ Redação Pantanal News

Campo Grande (MS)  – “Bom dia, gente! Bom dia pessoal”, cantavam os integrantes do Teatro Imaginário Maracangalha enquanto recebiam em casa, na manhã de terça-feira (24), os participantes do seminário que abriu o segundo dia do Boca de Cena, Mostra Sul-Mato-Grossense de Teatro.

Realizado pela Secretaria de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação de Mato Grosso do Sul (Sectei), com organização e produção da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS) e do Coletivo Setorial de Teatro de Campo Grande, a Roda de Conversa foi mediada pelo professor e pesquisador, Roberto Figueiredo, com o tema “O Teatro em Mato Grosso do Sul – desafios e perspectivas”.

Antes de analisar a situação atual do teatro local, Roberto fez um resgate histórico lembrando fatos marcantes e importantes de décadas passadas, que hoje influenciam o comportamento da classe e de seu público.

“Durante e logo após o regime militar, as únicas reuniões que se podiam fazer sem os militares intervirem eram as de assuntos culturais. Por um bom tempo, os integrantes dos grupos eram muito mais interessados em fazer política do que fazer teatro. Depois que a poeira baixou, muita gente saiu dos grupos e só sobrou quem realmente tinha amor pelo teatro”, lembrou o historiador.

Segundo ele, a partir de então, muitos grupos perderam suas características, surgindo em seguida a necessidade da reforma. “Foi aí que surgiu a importância de se criar coletivos e setoriais como novas formas de organização. Ou seja, por um bom tempo demos um passo para trás para somente agora poder realizar um salto maior”, resumiu Roberto.

“Tudo é histórico, a politização da categoria não começou agora, o que vemos hoje é apenas um reflexo do que foi feito. Nada foi perdido. Éramos amadores, fazíamos como queríamos. Fomos pegos de surpresas pelas mudanças do mundo, então surgiram os editais e a necessidade de se profissionalizar”, completou a diretora Lu Bigatão.

Limites na construção de um fazer teatral

O que é ser ator no Mato Grosso do Sul? Qual o papel fundamental do teatro na vida das pessoas? Quais os limites e desafios na construção do teatro no Estado? Qual a diferença entre quantidade e qualidade de público? Qual o papel do poder público nesta construção? Perguntas um tanto difíceis, mas com a classe unida e disposta a dialogar, muitas delas foram respondidas uns pelos outros durante o seminário.

Representando a Sectei, o superintendente do Fundo de Investimentos Culturais (FIC-MS), Ricardo Maia, dialogou com a classe artística, comentando as mudanças que a secretaria propõe a realizar a partir de agora.

“É muito importante a participação de vocês junto ao poder público, especificamente à nova secretaria, que além de cultura, engloba as áreas do turismo, empreendedorismo e inovação. Temos de trabalhar juntos. Esse é um dos grandes objetivos da Sectei, dialogar e realizar junto ao artista, que é quem faz a cultura no nosso Estado”, disse o superintendente.

Do outro lado da Mostra…

Ainda parte da programação do Boca de Cena, Mostra Sul-Mato-Grossense de Teatro, na tarde de hoje (25), a criançada lotou o Teatro Aracy Balabanian para assistir a peça “Era uma vez… Branca de Neve”, do Grupo Teatral Cênika, de Campo Grande.

Alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) da Capital, se divertiram com a peça bem humorada. Para a professora da entidade, Andréia Rodrigues, a Boca de Cena é uma oportunidade das crianças se socializarem.

“Nesta tarde elas puderam ver encenada uma peça sobre uma história que costumamos contar para elas e que já foi tema de uma peça teatral que elas vivenciaram. Deu para perceber que elas se interessaram muito pelo que viram. Um evento como esse nos possibilita mostrar aos pais que é possível os alunos frequentarem locais públicos”, afirmou a professora. Ao final da peça, o público infantil ainda posou para fotos com os atores.

 

O Seminário “Teatro, Organização, Espaço e Público” é aberto à participação do público em geral, com entrada franca e vai até esta sexta-feira (27). Já os espetáculos do Boca de Cena, Mostra Sul-Mato-Grossense de Teatro,terminam no sábado (28). Mais informações pelo telefone (67) 3316-9157.

Alexander Onça – Sectei

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 


Comentários
 
Últimas notícias do canal
17/11/2017 - 10h18
Fim de semana tem sertanejo, funk, comédia e teatro
10/11/2017 - 13h08
AGENDONA: Fim de semana tem atração internacional, rap, reggae e até grito de carnaval
09/11/2017 - 12h45
Com relíquias no acervo, Arquivo Público guarda detalhes valiosos de MS
03/11/2017 - 09h27
AGENDONA: Fim de semana tem youtubers famosos, Guilherme Rondon e muito mais
03/11/2017 - 07h37
Em clima de quintal, encontros têm samba de gafieira com energia super carioca
 
Últimas notícias do site
20/11/2017 - 15h50
Conab divulga preços de frutas e hortaliças no mês de outubro nos Ceasas
20/11/2017 - 12h50
Laudo descarta que macaco achado morto na Capital teve febre amarela
20/11/2017 - 10h35
Militares de Campo Grande ajudam em buscas a submarino na Argentina
20/11/2017 - 09h13
Sem-terras são autuados em R$ 11 mil por exploração ilegal de madeira
20/11/2017 - 08h50
Terreiros saem pelas ruas com oferendas para lembrar Oxum e pedir respeito
 

zap

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.