zap
   

especiais

seções

colunistas

blogs

enquete

Na sua opinião, o Pantanal já sente os efeitos do desmatamento?
Sim
Não
Não sei
Ver resultados

tempo

newsletter

receba nosso newsletters
   
Rádio Independente

expediente

Pantanal News ®
A notícia com velocidade, transparência e honestidade.

Diretora-Geral
Tereza Cristina Vaz
direcao@pantanalnews.com.br

Editor
Armando de Amorim Anache
armando@pantanalnews.com.br
jornalismo@pantanalnews.com.br

Webmaster
Jameson K. D. d'Amorim
webmaster@pantanalnews.com.br

Redação, administração e publicidade:
Aquidauana:
Rua 15 de Agosto, 98 B
Bairro Alto - CEP 79200-000,
Aquidauana, MS
Telefone/Fax (67) 3241-3788
redacao@pantanalnews.com.br

Escritório:
Corumbá:
Rua De Lamare, 1276 - Centro
CEP 79330-040, Corumbá, MS
Telefone: (67) 9235-0615
comercial@pantanalnews.com.br
pantanalnews4@terra.com.br

 
Trânsito - 22/01/2015 - 09h15

Inaugurada há menos de dois anos, MS-436 tem rachaduras e buracos

Pedras usadas para a pavimentação estão se soltando. Governo avalia situação; empresa diz que obra seguiu projeto.




Reprodução/TV Morena

Localizada no norte de Mato Grosso do Sul, a rodovia tem início em Camapuã, passa por Figueirão e termina em Alcinópolis.
Por G1 MS com informações da TV Morena / Redação Pantanal News

A MS-436, inaugurada há menos de dois anos, está com diversas rachaduras, imperfeições e buracos no asfalto. Além disso, as pedras usadas para a pavimentação estão se soltando. Essas condições deixam o tráfego pela estrada perigoso. Localizada no norte de Mato Grosso do Sul, a rodovia tem início em Camapuã, passa por Figueirão e termina em Alcinópolis.

O titular da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra), Ednei Marcelo Miglioli, disse que técnicos do governo já foram até a rodovia para avaliar a situação. A construtora Sanches Tripoloni, responsável pela obra, informou que a pavimentação foi feita dentro das especificações do projeto e do padrão contratado pelo governo. O ex-secretário de Infraestrutura do estado, Edson Giroto, afirmou que está em viagem e prometeu dar explicações nesta quinta-feira (22).

Asfalto de rodovia MS-436 esfarela e causa dor de cabeça para motoristas (Foto: Reprodução/TV Morena)
Asfalto da rodovia 'esfarela'
(Foto: Reprodução/TV Morena)

Ao longo da estrada, muitos motoristas reclamam dos prejuízos. O pecuarista Rubens Carlos de Rezende teve o para-brisa do caminhão trincado duas vezes, por conta das pedras que se soltaram do asfalto. "Um carro passou por mim e jogou pedra. Muita pedra solta nessa buraqueira”, relatou Rubens.

Veículos passam e jogam as pedras no acostamento, deixando uma grande quantidade do material na beira da estrada. As pedras também ficam na pista, e, por conta disso, motoristas mudam de faixa para desviar do asfalto danificado.

Os remendos não suportam o peso dos veículos e o asfalto se desmancha quando os veículos passam. Em um dos trechos da rodovia, onde muitos caminhões passam, a espessura da camada do asfalto é fina, com apenas quatro centímetros.

"Não aguenta o tráfego de caminhão pesado. Todo o dia vai passando e desgastando o asfalto. O caminhão vai passando e vai arrancando o próprio asfalto", disse o caminhoneiro Calixto Ramos Amorim.
 

Inaugurada há menos de dois anos, MS-436 tem rachaduras e buracos (Foto: Reprodução/TV Globo)
Rodovia fica na região norte do estado
(Foto: Reprodução/TV Globo)

Os moradores da região esperavam que o asfalto fosse de melhor qualidade, já que foram investidos R$ 215 milhões para pavimentar a estrada. Cada quilômetro custou aos cofres públicos R$ 1,3 milhão.

Para o engenheiro civil Marcus Menezes Silveira, especialista em pavimentação asfáltica, não é normal uma estrada asfaltada dar problemas em menos de dois anos de uso.

“Normalmente, as estradas têm uma vida útil de, no mínimo, dez anos. Logicamente, nesses dez anos, pode haver alguma correção. Mas não pode apresentar, por exemplo, defeitos generalizados a menos desse tempo. Nós temos que dar uma olhada no projeto. Seguiu o projeto? Seguiu. Aí vamos para a execução. Tem problemas de execução? Vai ter que refazer aqueles pontos, até os cinco anos vai ter que resolver esses problemas, porque a empreiteira tem que dar conta. Lembre-se que o estado continua sendo o cliente”, explicou.

Miglioli afirmou que já entrou em contato com a empreiteira para saber se técnicos da empresa poderiam participar dos levantamentos para identificar os problemas e quais as medidas devem ser tomadas no futuro.

“Apesar de a obra ter sido entregue, existe compromisso contratual de responsabilidade sobre o serviço executado, e nós vamos nos pautar no contrato. Caso seja de responsabilidade da construtora e a obra esteja dentro do prazo de garantia legal do contrato, nós vamos acioná-la para que ela tome as devidas providências e as correções. Não sendo responsabilidade da contratada e sim do órgão, nós vamos ver que providências tomar”, garantiu o secretário da Seinfra.

Na semana que vem, representantes da empreiteira e do governo do estado vão se reunir para avaliar o problema.

Compartilhe


Deixe o seu comentário

Todos os campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.

Nome:

E-mail:

Seu comentário:
Sistema antispam

Digite aqui o código acima para confirmar:


 

zap2
Comentários
 
Últimas notícias do canal
06/11/2017 - 16h03
PRF flagra 1.900 motoristas em alta velocidade durante o feriadão de Finados
31/10/2017 - 16h18
PRF focará em acidentes graves durante Operação Finados em MS
16/10/2017 - 07h52
Sete morrem em rodovias estaduais de MS durante o feriadão, diz PMR
12/07/2017 - 15h16
Número de mortos nas rodovias de MS cai 12% em relação a 2016
29/05/2017 - 06h17
Capotamento fere casal na BR 262
 
Últimas notícias do site
17/11/2017 - 16h03
Viralizou: cachorrinho 'penetra' na balada é a imagem mais fofa que você vai ver hoje
17/11/2017 - 10h18
Fim de semana tem sertanejo, funk, comédia e teatro
17/11/2017 - 07h53
Confira as ocorrências dos Bombeiros das últimas horas
17/11/2017 - 07h44
Proprietários rurais são autuados por manterem carvoarias ilegais
17/11/2017 - 06h14
Confira as ocorrências dos Bombeiros das últimas horas
 

88

Untitled Document
 ® 2009  

CPN - Central Pantaneira de Notícias
PantanalNEWS - Marca registrada 1998-2009
Todos os direitos reservados.